Arquivo | brasil RSS feed for this section

Desligue o pc e vá ler um livro!

16 mar

 No desligue o pc e vá ler um livro, vou dar dicas de livros que li,ou não, para que você possa tirar um pouco sua bundinha torneada da cadeira, e ir viajar no mundo literário!

 O livro de hoje é: Ensaio sobre a cegueira, de José Saramago




O livro começa quando um homem, que está dentro de um carro parado no sinal, perde de repente a visão. Mas a cegueira  não era uma cegueira dita “normal”. Como dizia o próprio homem, é como se ele estivesse mergulhado em um mar de leite. A anomalia foi chamada de mau branco.
 Ele foi levado pra casa, sua mulher logo procurou um oftamologitsta. Depois disso todos que tiveram contato com ele ficaram cegos também. Menos a mulher do médico. O governo, tentou tomar medidas drásticas, e enviou todos os doentes para uma “quarentena”. No começo poucos são levados para esse tal lugar que a mulher do médico (sim, ela deu um jeito de ir junto) descreve como sendo um manicômio abandonado. O manicômio tem vigilância máxima de 24 horas, não sendo possível as pessoas sairem até meio metro da porta. Aos poucos vai chegando mais e mais gente, a comida vai ficando escassa, não há agua limpa, nem banheiros decentes. A unica que vê é a mulher do médico, que não pode fazer nada.

O que achei do livro:


Esse livro é muito lindo. Me fez sentir tantas emoções, chorei, me angustiei. Acho que essa foi a intenção do Autor, nos deixar um pouco angustiados com nós mesmos. Nós, os seres humanos tão egoistas, só olhamos para nós mesmos. Quando saímos da nossa zona de conforto, a coisa fica pior ainda. Mas no final do tunel sempre há uma luz. Essa foi a primeira obra literária que li com gosto, mais por prazer do que por obrigação, e não me arrependi. A leitura no começo é um pouco difícil, porque o autor (José Saramago)  não costuma pôr paragrafos, e pra distinguir as falas ele só usa ponto e vírgula. Mas depois que você se acostuma, acha até estranho os outros livros ahaah

Em 2008 foi feito um filme, com o mesmo nome do livro, seu diretor foi Fernando Meireles (conheçe?).


É um livro que com certeza eu queria ter na minha prateleira 🙂